Satélites amador

Uma das boas opções de comunicação radioamadorística que vem sendo utilizada há muitos anos pelos operadores do mundo inteiro, principalmente pelos americanos é a comunicação VIA SATÉLITE.

A rádio comunicação era limitada em freqüências altas pela curvatura da terra e por efeitos de propagação. Tal fato obrigou os pesquisadores a buscar alternativas para tais dificuldades. A era dos satélites começou no dia 04 de outubro de 1957 com o lançamento do Sputnik pela antiga União Soviética. Tal feito iniciou a corrida espacial e em 1959 um grupo de radioamadores formou uma associação denominada OSCAR (Orbiting Satellite Carrying Amateur Radio ) visando o possível envio ao espaço de um satélite para nossa comunicação. O primeiro satélite de amadores subiu ao espaço em 12 de dezembro de 1961 e recebeu a denominação de OSCAR I.

Era composto de um transmissor de 0.1 watt, porém depois de 3 semanas no espaço as suas baterias descarregaram. Os primeiros contatos entre radioamadores russos e norte americanos, só se concretizaram com a subida do OSCAR-IV, lançado em 21 de dezembro de 1965. Em 1969 foi fundada a The Radio Amateur Satellite Corporation, AMSAT, entidade que viria a continuar os trabalhos do projeto OSCAR, formado em 1959. Foram também criados grupos em outros paises.

Na Alemanha a AMSAT-DL, no Reino Unido a AMSAT-UK, no Japão a JAMSAT e no Brasil a BRAMSAT. Radioamadores russos também enviaram ao espaço sua série de satélites denominada Radio Sputnik ( RS ) sendo que o primeiro a subir foi o RS-1 em 26 de outubro de 1978 e teve vida útil de apenas alguns meses. Vários países já enviaram ao espaço seus satélites de amadores, inclusive o Brasil. No dia 21 de janeiro de 1990 a bordo de um foguete ARIANE, da agência espacial européia, lançado da base de Kourou, na Guiana Francesa, o Brasil através dos esforços do radioamador PY2BJO, Junior Torres de Castro, envia o seu primeiro satélite.

Denominado DOVE (Digital Orbiting Voice Encoder), ou OSCAR-17, que apesar de ter tido sucesso no lançamento, após algum tempo teve danificado seus equipamentos. A idéia do seu idealizador era transmitir à crianças de todo o mundo mensagens em várias línguas. Cada vez mais satélites foram lançados, até o atual OSCAR 40 que subiu ao espaço no ano passado, mas apresenta problemas que comprometem todo o projeto e até agora não pode ser usado.‘’ – (Artigo copiado do site www.radioamador.com)

Para se operar em VHF (2 m e 0,70 m), através de satélites, principalmente para os Radioamadores iniciantes na modalidade e os da Classe ‘’D’’ (quase sem opção de QSO´s à distância), a operação de escuta e rastreamento, aliados à paciência, estudo e pesquisa são muito importantes e praticamente imprescindíveis ao sucesso da operação. A seguir dados úteis sobre alguns satélites, suas condições operacionais e QRG´s:

AO-27 (Oscar 27) Uplink: 145.850 (FM) Downlink: 436.800 (FM) Nota: Lançado em 26 SET 1993 da Base de Kouru, na Guiana Francesa

UO-14 (UoSat (Oscar 14)) Uplink: 145.975 (FSK/FM) Downlink: 435.070 (AFSK/FM) Nota: Lançado em 22 Jan 1990 da Base de Kouru, na Guiana Francesa Status: Operacional, Modo J.

UO-22 ((Oscar 22)) Uplink: 145.900/975 (FM) Downlink: 435.120 (FM) Notas: Rádio Pacote (Packet Radio)

UO-11 (UoSat 2 (Oscar 11)) Downlink: 145.825 (FM) Downlink: 435.025 (FM) Downlink: 2401.500 Notas: Digitalker e telemetria Lançado em 1° Mar 1984 da Base Aérea Americana de Vandenberg na California USA – Status: Operacional. – OSCAR-11 celebrou seu décimo sétimo aniversário no espaço em 1° Mar 2001.

IO-26 (IT Amsat (Oscar 26)) Uplink: 145.875/900/925/950 Downlink: 435.822 (FM) Notas: Satélite de Rádio Pacote Italiano – Lançado em 26 Set 1993 da Base de Kouru, na Guiana Francesa Status: Semi-operacional. A função ‘’digipeater’’ está ligada e aberta para usuário APRS.

International Space Station/ARISS (ISS-ZARYA) Uplink’’ mundial em Rádio Pacote: 145.990 MHz; Região 1 Uplink Voz: 145.200 MHz; Regiões 2/3 Uplink Voz: 144.490 MHz Downlink mundial (Packet e Voz) : 145.800 MHz. O Indicativo do TNC é NOCALL . A estação inicial ARISS foi lançada em Set/2000 a bordo da Space Shuttle Atlantis. A ARISS é mantida pelas mais importantes delegações e organizações de radio amadores do mundo, incluindo a AMSAT Status: Operacional. QRA Americano: NA1SS; QRA Russos:: RS0ISS, RZ3DZR – QRA em APRS : NOCALL

Satélite Amador Modo 02 Bandas Satélite Amador Modo Banda Única

Modo A Uplink 2m, Downlink 10m Modo V 145 MHz (2m)

Modo B Uplink 70cm, Downlink 2m Modo U 435 MHz (70cm)

Modo J Uplink 2m, Downlink 70cm Modo L 1.2 GHz (23 cm)

Modo K Uplink 15m, Downlink 10m Modo S 2.4 GHz (13 cm)

Modo L Uplink 23cm, Downlink 70cm Modo C 5.6 GHz (6 cm)

Modo S Uplink 70cm, Downlink 13cm Modo X 10 GHz (3 cm)

Modo T Uplink 15m, Downlink 2m Modo K 24 GHz (1.5 cm)

UPLINK     : QRG de TX do Radioamador e RX do Satélite;

DOWNLINK: QRG de TX do Satélite e RX do Radioamador

É uma pena que satélites ou estações espaciais como a MIR e o SO-35 (Sunsat) entre outros, não estão mais em operação, pois eram satélites de baixa órbita, de fácil operação e escuta, muito utilizados pelos Radioamadores de todo o mundo (inclusive o Brasil), principalmente para realizar contatos via VHF/UHF em FM.

Atualmente, para realizar ‘’escutas’’ de satélites e QSO´s através de Rádio Pacote e APRS, eu estou usando um transceptor Kenwood TM-261A (VHF – 2m – FM), uma antena J-Pole de minha confecção, uma Placa Baycom de confecção do colega PY3SS, e os softwares AGW (para emular o TNC), o UI-View (para o realizar o APRS) e WinOrbit36 (para rastreamento dos satélites).

As antenas (J-Pole) não é apropriada para realizar contatos com satélites, pois além de pouco ganho (omnidirecional), o seu alcance é limitado em relação à inclinação (elevação em relação ao horizonte) dos satélites, mas tenho feito boas ‘’escutas’’ de sinais digitais – no momento estou ‘’montando’’ uma antena omnidirecional de polarização circular denominada ‘’LINDENBLAD’’.

O transceptor deveria ter a banda de UHF (0,70 m) para melhor trabalhar os ‘’downlinks’’ da maioria dos satélites. De preferência, o Radioamador interessado em contatos com satélites deveria utilizar, em princípio, um Transceptor VHF/UHF que operasse ‘’all modes’’, isto é, em FM, CW, SSB, etc., além de antena de bom ganho e/ou direcional, mas como o QSJ anda ‘’curto’’, às vezes a gente faz o ‘’impossível’’ com um equipamento modesto, simples e com poucos recursos.

Por exemplo, eu acionei o ‘’digipeater’’ (repetidora digital) da ARISS pela primeira vez, no dia 22/07/2001, mas como não enviei as minhas coordenadas geográficas, a minha posição geográfica não foi registrada no site: http://64.34.101.121/cgi-bin/find.cgi?
[seu indicativo], (no meu caso, ).

A certeza de que acionei o ‘’digipeater’’ está em que, no meu Terminal apareceu um asterisco (*) logo depois da minha mensagem, isto é, recebi o sinal de que a minha mensagem foi ‘’repetida’’ pela ISS. Tentarei repetir a ‘’façanha’’ nos próximos dias… Se você quiser se ‘’iniciar’’ e saber mais coisas sobre a rede APRS, visite os seguintes endereços na Internet:

http://www.bsbnet.com/pt2vhf/aprs/

http://www.cq.com.br/;

http://www.aprs.org.br/

http://web.usna.navy.mil/~bruninga/pcsat.html

http://www.ea1uro.com/

http://www.qtcbrasil.com/satelite

  1. #1 por acassis em 07/09/2011 - 12:40 PM

    PY1WX,

    Muito bom seu artigo!

    Obrigado pelas informações, espero começar um dia iniciar na area de HAM.

    Um abraço,

    Alan

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: